Louise, Portugal -> Itália, TC

A Louise Dubé fez um Training Course “The Pot of Gold”, em Itália, de 5-13 de Maio de 2016. Esta é a partilha da sua experiência!

A viagem começou bem cedo, às 5h da manhã, no aeroporto de Lisboa, com um nervosinho no estômago. Tínhamos combinado encontrar-nos antes de embarcar no mesmo avião para Roma: eu, a Almudena e a Maria. Depois de deixar as bagagens, um café e o tempo de trocarmos dois dedos de conversa sobre nós mesmas, já íamos de sorriso na boca e cheias de vontade de ver o que nos esperava lá.

Para chegar a Orvieto, a cidade mais próxima do sítio onde iria decorrer o Training Course, ainda tivemos de apanhar um autocarro que nos levava do aeroporto ao centro de Roma, para a estação de comboios. Direcção “Firenze” (Florença), lá tivemos a oportunidade de tentar descansar um pouco no comboio, mas a conversa entre nós era tão interessante que não fomos capazes de desligar nem que fosse um bocadinho.

Para mim, esta foi das melhores coisas que trouxe da experiência: as pessoas. Desde o primeiro momento, até ao último, não houve nem um segundo em que não pudesse ver, aprender, ficar a conhecer e a gostar das pessoas, das experiências, histórias e pequenas coisas de cada um. Vínhamos dos quatro cantos da Europa: Portugal, Espanha, França, Roménia, Hungria, Grécia e, claro, Itália! Cada um com uma cultura única, cada um com uma realidade diferente da nossa e com uma experiência de vida singular. Que fôssemos um dos mais velhos ou dos mais novos naquele grupo, cada um trouxe uma parte insubstituível, colocando um bocado de si naqueles dias e criando a nossa própria comunidade.

“The Pot of Gold”. O nome indica tudo e em grupo conseguimos chegar ao ouro no final do arco-íris. Foi uma caminhada, em que cada etapa nos ajudava mais a perceber a extensão do tema que nos levava a encontrar-nos todos ali durante 8 dias. Trabalharam-se os temas da identidade sexual, de género, da comunidade LGBTQ+; da influência da família, da escola, do local de trabalho, dos media e da sociedade, a nível individual, comunitário e político… Em grupo, com discussão, actividades, preparação de actividades, mas também individualmente.

Interligando mente e corpo, não aprendemos apenas a teoria e como poderíamos apresentar ideias, conceitos e problemas destas temáticas. Sim, utilizámos papéis, cadernos, canetas, imagens e gráficos para falar sobre alguns dos pontos mais críticos acerca do género, da sexualidade, da discriminação e do discurso de ódio por trás destas questões. Mas também experimentámos sensações, realizámos ideias e metemos em prática situações do dia-a-dia, com recurso ao teatro, à reflexão e à encenação. E após um dia de trabalho, a comida caseira da típica cozinha italiana, vinha acompanhada de pitadas aromáticas de cada canto do mundo e enchia-nos o coração de amor e carinho, tal como tinha sido confeccionada!

Foi sem dúvida uma semana em que o crescimento pessoal foi essencial. A carga emocional dos temas e das experiências abordadas, levou-nos a todos a questionar e a duvidar de nós próprios mas também do que vivemos diariamente no mundo, no país, na cidade e comunidade em que nos inserimos. O tempo em Cerquosino parou e permitiu-me fazer uma introspecção sobre a minha vida. O que é que eu posso mudar? O que é que deveria mudar? O que é que eu posso fazer? Para mim, para os outros, para o mundo. Sozinha ou acompanhada, a nossa marca no mundo faz a diferença, que seja para o vizinho do lado ou uma pessoa do outro lado do mundo. Este foi o primeiro passo que me deu coragem em voltar para Portugal e pegar em tudo o que tinha aprendido nestes dias para continuar a lutar pelo melhor, para mim e para os outros, aqui e no resto do mundo.

À despedida, levámos um pouco do lugar em que tínhamos criado algo único. Agradecemos aos nossos Facilitators, a Sara, Lutza, Yoan, Anka, Barbara, Serena & , ao Ettore, à Elena e ao Julio, que nos acolheram tão gentilmente neste sítio mágico e nos devolviam agora ao nosso mundo, prontos para enfrentá-lo e melhorá-lo. Juntamente, trazia um caderno cheio de pensamentos, receitas, ideias, contactos e conhecimentos. As pessoas, as experiências, as temáticas e o trabalho, veio tudo comigo, à procura de mais para fazer, mais para ajudar e mais para viajar nesta área. Fui com o objectivo de aprender mais, de trazer tudo o que podia para os meninos com que iria trabalhar no futuro, voltando com mais do que apenas conhecimentos factuais mas também ideias de projectos futuros e vontade de crescer para além das minhas próprias fronteiras. A “formação” foi mais do que conseguida! Foi apenas o início de uma jornada que vejo a começar! Pelo que só posso agradecer a todos os que fizeram parte da mesma, começando pela Mais Cidadania e esperando para ver quem mais poderei cruzar ao longo desta caminhada!

 

English Version

The trip started quite early, at 5am, in the airport of Lisbon, feeling nervous with anticipation. Me, Almudena and Maria had set to meet in the airport before embarking on the same plane to Rome. After checking in, we had a coffee and with it the chance to speak about ourselves, smiling and eager to know what awaited for us in Italy.

To get to Orvieto, the closest town to the place of the training course, we had to take a bus from the airport to the centre of Rome, to the train station. Heading Florence, we had the chance to try and have some rest in the train but what we had to discuss was so interesting that we couldn’t stop talking for a minute.

To me, this was one of the best things about this experience: people. From the first to the last moment, there wasn’t a second where I could not see, learn, meet and like the people around me, their experiences, stories and small details. We were from everywhere in Europe: Portugal, Spain, France, Romania, Hungary, Greece and, of course, Italy! Each one with a singular culturem a diferente reality and life experience. Whether we were one of the oldest or one of the youngest in the group, each brought a valuable piece, a part of themselves, creating our own little community.

“The Pot of Gold”: the name says it all! Together we managed to reach the gold at the end of the rainbow. It was a path and with each step we got to understand better and better the topic that brought us together there for eight days. We worked on topics of sexual identity, LGBTQ+ community, gender; within family influences, in schools, workplaces, media and society, individually, in the community and the politics. In group, with discussion, activities, planning activities but also individually.

Bonding mind and body, we didn’t just learn the theory and how we could presente ideas, concepts and problemas within these topics. We used paper, pens, images and graphic schemes to raise issues about critical points of gender, sexual orientation, discrimination and hate speech. But we also dealt with feelings, we put ideas into action and using theatre and reflection, experienced daily situations in which these phenomena happen. And after a day of work, the homemade Italian food we had was met with savoury pinches from other parts of the world and it filled our hearts with love and care, as it had been made!

It was a week of personal growth, no doubt. The emotional weight of the themes and experiences shared led us to to question and doubt ourselves in our daily lives, in our country, our town, our community. Time in Cerquosino stopped and it allowed me to question myself: what can I change? What should I change? What can I do? To myself, to the others, to the world. Alone or with someone, our steps make a difference, whether to our neighbour next door or to someone far away. This was the first step to give me courage to come back to Portugal and take everything I had learnt during these days to keep fighting to make it better, for myself and for the next one, here and in the rest of the world.

We brought a piece of the place in which we had created something unique. We thanked our facilitators, Sara, Lutza, Yoan, Anka, Barbara, Serena, Ettore, Elena, Julio, who have welcomed us so gently in this magical place and sent us back to our world now, more capable of facing and imoproving it. With me, I had a notebook full of thoughts, récipes, ideas, contacts and knowledge. The people, the experiences, the topics and the work, it all came with me, eager to do more, to help and travel more in this field. I had taken the goal to learn more, of bringing all I could for the kids I would work with in the future and I came back with more than mere knowledge but also ideas for future projects and a will to grow beyond my own borders.

The training course was exceptionally successful. It was just the beginning of something bigger to start! I can only thank those who made it possible, starting with Mais Cidadania and willing to know whom else I will come across during this long walk!

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s